Clique para abrir menu ou ocultar

Precauções ao acampar

Para um acampamento tranquilo e diminuir as possibilidades de passar por uma situação desconfortável, ou até perigosa, sugerimos algumas providências, a saber:

Camping em Valença/BA - jan/13 Camping do Sesi - Valença/BA
+ Escolha do local para armar a barraca › ›
  • • Atenção para áreas sujeitas a alagamentos ou com depressões no terreno. Procure os locais mais elevados para montar sua barraca e vistorie a área quanto à existência de pedras, raízes de árvores, formigueiros, etc., que poderão lhe causar incômodos.
  • • Se for armar a barraca embaixo de uma árvore para aproveitar sua sombra observe bem se não tem galhos secos que ao primeiro vento possam vir a cair. Isso, além do risco de rasgar ou danificar a barraca pode também causar ferimentos às pessoas.
+ Montagem da barraca › ›
  • • Ao montar a barraca atenção especial ao sobreteto, que deverá ficar o mais esticado possível de forma que não encoste no dormitório. Na maioria das vezes a causa da infiltração de água quando chove é devido estar encostado.
    Sobreteto bem instalado (afastado) também melhora a circulação do ar e ajuda a evitar a condensação, causada pela diferença de temperatura interna/externa, que chega até a gotejar dentro da barraca.
    • Veja vídeos de como montar alguns modelos de barracas.
+ Fixando os espeques (estacas) › ›
  • • Fixe-os sempre inclinados a 45º para o lado oposto à barraca, o que aumenta a segurança em caso de ventos mais fortes.
    • Para fixá-los utilize um martelo de borracha , cuja superfície de contato é maior, não faz barulho e reduz o risco de uma martelada no dedo.
    • Na medida do possível (depende da “dureza” do terreno) enterre-o totalmente para evitar acidente de alguém tropeçar num exposto.
+ Tirantes (cordinhas) › ›
  • • Ficam presos em pontos de reforços laterais. Devem ser todos utilizados e esticados, servindo para manter o sobreteto afastado do dormitório e também para dar maior estabilidade à barraca em casos de ventania ou temporais.
    • Fixe-os ao chão com os espeques (estacas) à distância mais curta possível da barraca para evitar que alguém tropece, o que poderá até rasgá-la. Se necessário fixá-los mais distante, sinalize prendendo algo chamativo nos tirantes.
+ Lona embaixo da barraca › ›
  • • Ao colocar lona plástica por baixo da barraca, para proteger o fundo, não deixe plástico sobrando para fora, pois se chover vai se transformar em canalizador de água para a barraca. Eventuais sobras dobre para baixo.
+ Área limpa em torno da barraca › ›
  • • Para manter limpa a área em torno da barraca e sem risco de empossar água em caso de chuva - o que acontece com plásticos -, use uma tela daquelas que se coloca em janela para não entrar mosquitos. Tem à venda em lojas de materiais de construção e como geralmente é estreita, precisa ser feito emenda e bainha, para não desfiar.
    Para a mesma finalidade existe uma tela de material mais resistente - e mais caro - conhecido como piso ecológico, que se encontra pela internet - veja link.
+ Proteção extra para chuva e sol › ›
  • • Existe sempre a possibilidade de uma chuva forte, ou mesmo aquela fraca mas que perdura por horas/dias. Com uma lona plástica clara, com ilhoses, tamanho o dobro da barraca, corda, extensores de borracha e espeques, é possível criar uma boa proteção - inclusive para o sol - e passar a ter também um espaço extra com mil utilidades.
    Essa lona deve ser colocada a uma altura que permita ficar de pé embaixo dela - o que favorece também a ventilação -, deixando-a esticada e com caimento para a água não empossar, pois se isso acontecer ela poderá ceder, devido ao peso, e causar estragos.
+ Extensão elétrica - cuidados › ›
  • cabo flexível PP para extensão
    • Eletricidade e umidade (em caso de chuva) não combinam. Para trazer a energia do ponto (tomada) à barraca use uma extensão com fios adequados e bem isolados, tipo o cabo flexível PP CordPlast.
    • Deixe o cabo com folga para no caso de alguém tropeçar não sofrer ou causar danos. No mínimo deve ter uns 10 m de comprimento (o nosso tem 20 m), pois em algumas oportunidades o ponto de energia pode estar distante da barraca.
    • Use plugue macho triangular, em 90º , que serve inclusive para as tomadas no novo padrão brasileiro.
    • Antes de ligar qualquer equipamento verifique qual a voltagem da rede elétrica no camping, pois se não for compatível poderá danificá-lo.
    • neste link do MaCamp matéria bem detalhada a respeito desse importante item.
+ Tempestades com raios - cuidados › ›
  • • Se na cidade, e mesmo em casa, tempestades com raios e trovões é um evento assustador da natureza - e perigoso - num camping, muitas vezes embaixo de árvores, à beira de lagos ou praias e ambiente úmido, isso aumenta de proporção exigindo atenção e providências urgentes para diminuir o risco de acidentes, que por vezes pode ser fatal. Nessa Cartilha feita pelo INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - tem orientações muito úteis sobre os procedimentos a adotar nessas ocasiões.
+ Transformador de voltagem › ›
  • • No caso de voltagem diferente dos seus equipamentos leve um transformador . A unidade de medida utilizada pelo inmetro para auto transformadores é VA (volts amperes), que corresponde a 0,6 Watts. A potência do transformador deve ser igual ou maior que a soma da potência de seus aparelhos, em Watts.
    • Use essa tabelinha: 200VA suporta até 120W - 300VA suporta até 180W - 500VA suporta até 300W e 750VA suporta até 450W.
    • Assim basta somar a potência em Watts de seus aparelhos e encontrar o transformador ideal. Exemplo: para um frigobar (65W), uma lâmpada eletrônica (20W) e um circulador de ar pequeno (90W), um transformador de 300VA é suficiente. Atenção: mesmo o transformador de 750W não serve para panelas e sanduicheiras elétricas, cuja potência excede sua capacidade.
+ Colchão inflável › ›
  • • Para encher o colchão inflável de casal faça-o com o colchão dentro da barraca, bombeando, por meio de fole ou bomba, pelo lado de fora, pois se o colchão for inflado fora da barraca pode não passar pela porta e aí terá que esvaziá-lo um pouco para entrar.
    • Não encha o colchão em demasia para não forçar as emendas - com muita pressão há risco de deformá-lo. Um modo de testar é sentar num dos lados do colchão. Se seu corpo não encostar no chão a pressão estará boa.
    • É normal no dia seguinte precisar reforçar a pressão do colchão, devido a elasticidade do mesmo que estava acostumado vazio quando fora de uso.
+ Cuidados com seus pertences › ›
  • • Ao sair da barraca guarde no carro ou na própria barraca, mas fechados, deixando fora das vistas dos passantes, qualquer coisa de valor ou que seja chamativa como máquina fotográfica, filmadora, carteira, celular, etc. Nunca tivemos problemas, mas é sempre bom prevenir.
+ Acampar no réveillon ou carnaval › ›
  • • A maioria dos campings tem a estrutura preparada para atender uma quantidade mediana de campistas, sem super lotação. No réveillon e carnaval pessoas que nunca acamparam procuram por essa opção e alguns proprietários de camping, buscando compensar o período de baixa temporada, majoram os preços e chegam a admitir um público em quantidade superior a que a estrutura comporta. A consequência é filas nos banheiros, limpeza prejudicada e, às vezes, até problemas de água ou queda de energia. Decidindo por ir, procure se informar se o camping escolhido está sujeito a essas situações.
+ Acampar fora da temporada de verão › ›
  • • Passado o verão ou em épocas normais sem feriados, os campings ficam vazios, praticamente sem campistas, o que leva a maioria a fechar cantina, dispensar ou reduzir o pessoal contratado para a limpeza, manutenção e segurança, isso quando não paralisam totalmente as atividades até que surja um feriado que possa gerar movimento.
    • Por outro lado, fora da temporada existe um público que está de férias, trabalha em turnos, autônomos, etc., que gostaria de acampar nesse período mais tranquilo. Nesse caso é conveniente fazer contato prévio para saber se está funcionando e também irem cientes que poderão encontrar os campings com deficiências na infraestrutura, pelo motivos acima expostos.

Acampando no inverno

Principalmente no sudeste, no inverno chove pouco, os dias são bem claros e bonitos com temperatura agradável e à noite a temperatura cai bastante. É um período bom para acampar no interior, em regiões de montanha - ar mais seco -, ótimo para fazer trilhas, caminhadas, curtir a natureza e à noite, bem agasalhados e com alguma bebida quente, bater papo em volta de uma fogueira (onde isso é permitido), melhor ainda se tiver alguém com um violão para animar o ambiente.


Camping em São Lourenço/MG - jul/17 Camping Recanto dos Carvalhos - São Lourenço/MG

Para enfrentar as noites frias num acampamento no inverno é importante ir prevenido com gorros, cachecol, luvas, meias de lã e roupas adequadas (evite calças jeans), de acordo com o gosto pessoal já que umas pessoas sentem mais frio que outras.


Não feche totalmente a barraca, ela precisa de ventilação pois do contrário irá condensar com o calor do seu corpo, podendo acordar molhado com as gotículas d'água criadas, que vão cair ou escorrer do sobreteto.


Para dormir de forma confortável, uns se sentem bem com edredons (bons mas volumosos), outros preferem sacos de dormir - que podem ser usados inclusive pelo casal unindo-os pelo zíper - colocados sobre isolantes térmicos. Em nosso caso nos sentimos confortáveis colocando o isolante térmico sobre o colchão inflável, depois uma manta e nos cobrimos com um edredon - na falta do isolante térmico, pode ser usado folhas de jornal, papelão ou plástico bolha.

Manutenção da barraca

– A barraca do tipo iglu é muito prática e leve mas para aumentar seu tempo de vida útil requer alguns cuidados não só na montagem e uso como também na forma de guardar e conservá-la. Veja a seguir dicas de como cuidar da barraca.